Publiquei meu site e agora? Parte 1/2.



O que era para ser comemorado significa apenas o início de mais uma etapa, ou seja, o trabalho está apenas começando!

Após um período de muita pesquisa, definição de estratégia, detalhamento de táticas no plano de ação, documentação do projeto, criação, desenvolvimento e validação, chegamos enfim ao tão aguardado momento: A publicação do site e/ou landing page.

Mas o que era para ser comemorado significa apenas o início de mais uma etapa, ou seja, o trabalho está apenas começando!

Para tornar a explicação mais prática, vamos imaginar que o nosso projeto é um site de uma escola de idiomas, onde cada produto (curso) foi desenvolvido no formato de landing page e tem como objetivo gerar leads qualificados para a equipe comercial de 10 unidades. Então, o que analisar após a publicação?

De acordo com o objetivo do negócio são definidas as KPI’s (key Performance Indicators), famosos indicadores de performance, elas dirão se as minhas ações estão obtendo o resultado esperado. Seguindo o nosso exemplo, temos como objetivo gerar um volume de 3.000 leads e desses leads a equipe comercial deverá converter 240 em alunos (8%), então vamos lá:

Mídia paga - Paid media

Como o próprio nome já diz, são mídias pagas como por exemplo: Google Adwords e outras formas de links patrocinados, Display, Banners, Facebook Ads, etc.

Além do indicador geral, cada ação tem o seu, portanto, no plano de ação definimos quanto cada mídia deverá gerar de leads.

Então, quantos leads foram gerados de cada ação? Se manter o desempenho vou atingir o objetivo ao final do mês?

Mídia proprietária - Owned media

São seus próprios canais, onde você controla e produz conteúdo. Exemplo: Site e/ou landing page (usuários, visualização de página, localização, tecnologia, origem, conversão, etc), perfis em redes sociais (audiência, engajamento e sentimento), etc.

No site e/ou landing page é interessante acompanhar o volume de usuários x leads gerados, pois o fluxo de navegação, localização dos pontos de conversão (botões e/ou formulários) e até cores podem interferir no resultado. Outras métricas como localização, tecnologia e dispositivo utilizado também podem podem contribuir com a evolução da plataforma.

Já nas redes sociais, além de likes, comentários e compartilhamento é importante mensurar qual o tipo de conteúdo conduziu mais usuários até o site e/ou landing page e consequentemente quantos se tornaram leads.

Mídia expontânea - Earned media

Não envolve nenhum tipo de compra de espaço publicitário, é uma exposição conquistada de maneira expontânea. Exemplos: Buzz, Viralização, repercussão.

O tráfego gerado através de mídia expontânea costuma ser mais qualificado, portanto além de indicar a qualidade do conteúdo devemos ficar atentos ao número de visitas e leads gerados também. 

Tráfego Orgânico

Resolvi escrever sobre tráfego orgânico apenas para ressaltar a importância da interpretação desses dados, lembrança de marca e ressonância de campanhas impactam diretamente nos números. Assim como a mídia expontânea, costuma gerar um tráfego mais qualificado ao site e/ou landing page.

Para identificar todo o tráfego é necessário utilizar URL’s com código de rastreamento, para saber mais sobre o assunto clique aqui. 

Importante: Acompanhar diariamente as métricas possibilitará ajustes pontuais na estratégia e nas plataformas (site e/ou landing pages), afim de atingir as metas estipuladas no planejamento.

Gestão de leads

Este tópico ficará para a segunda parte deste post, onde irei abordar temas como: Integração marketing e vendas, boas práticas na gestão dos leads e continuaremos com as análises. Aguardem!